segunda-feira, setembro 17, 2018

A Tecedeira


Virava-se sobre as costas, pernas ao ar. E tropegossando-se neles, fiava os pensamentos seus, engrossando-os uns nos outros.

Retecia-se densos cordões de ideias e, enquanto se passeava sobre eles, entrelaçava-os, como que jogando sozinha ao "jogo do cordel" – e teava assim as suas urdiduras mentais, juntando-as em mantas de retalhos com que se protegia do frio.

Brrrrrrr!... Que medos tinha do frio! Pior medo, só o medo de não poder proteger-se dele! De ver-se impossibilitada de tecer!! Não podia imaginar-se sem aquilo, sem tecer!

E então tecia… E tecia, e tecia... Apanhava tudo o que fossem ideias e tecia-se os pensamentos...

E tecia..., em diferentes espessuras de fio e variados apertos de malha, mantos para todo o tipo de situações.


(Data e Local Incertos)





Sem comentários:

Enviar um comentário